04 maio 2022

Qualidade da Água na Suinocultura

get_the_title



AUTOR(ES)

Equipe Técnica Kobra

Confira as soluções da Kobra para garantir a qualidade da água na produção suinícola

A nutrição representa grande parte dos investimentos na produção animal atingindo patamares próximo a 75% dos custos totais de um suíno vivo.

No entanto, quando nos referimos a nutrição pensamos quase que exclusivamente na ração e nos fatores relacionados a ela que influenciam positivamente, ou não, no desempenho dos animais.

 

A água, por constituir cerca de 70% da composição corporal dos seres vivos, é um elemento essencial para o perfeito funcionamento do organismo. A falta de água (quantitativa e qualitativamente) só perde em importância para a falta de oxigênio!

Por isso a utilização do hidrômetro na Suinocultura é um dos mais importantes equipamentos para avaliar rapidamente o manejo alimentar (água e consequentemente ração), devendo estar instalado em todas as entradas de linha de bebedouros da granja.

A IN 113 do MAPA de 18.12.2020 diz que devemos “Fornecer quantidades adequadas de alimentos e acesso permanente à água de boa qualidade”. 

O termo “boa qualidade” deve ser determinado por técnico especializado em produção animal e qualidade da água.

Além do programa de monitoramento ou na ausência deste, a qualidade da água deve ser avaliada se:

Houver uma mudança na cor, cheiro e gosto da água;

Ocorrer algum tipo de contaminação perto da fonte superficial ou subterrânea;

Pessoas ou animais apresentarem doenças de veiculação hídrica;

 Existir falta de manutenção na rede de distribuição;

 Ocorrer problemas de desempenho no lote e a relação consumo de água/consumo de ração for alterada;

 Haver perda de pressão no sistema, geralmente causado por deposição de sais nos encanamentos e equipamentos e formação de biofilmes.

A análise da qualidade da água, seja ela de poço, nascente, etc., deve ser realizada no mínimo anualmente.

 

Casos em que a fonte de água esteja exposta a riscos de poluição e contaminação a análise deve ter uma periodicidade menor (semestral, trimestral, bimestral ou no caso de elevado risco, mensal).

No atual momento em que vivemos, enfrentamos duas não conformidades muito impactantes na Suinocultura, quais sejam:

 Preço dos ingredientes de alimentação;

Crise hídrica em muitos estados do País, especialmente no Sul.

O efeito da crise hídrica (quantitativa e qualitativa) deverá ter nossa atenção redobrada em função da necessidade imediata de valorizar a ração consumida na forma de nutrientes absorvidos.

Para que isso aconteça, a qualidade da água impactará decisivamente na qualidade gastrointestinal, responsável pela metabolização e absorção dos nutrientes contidos na ração.

O uso de águas superficiais (minas, cisternas, açudes e rios) por sua maior contaminação de matéria orgânica deve receber uma atenção especial, usando produtos sanitizantes que não sofrem perda de ação por ela, como o Dióxido de Cloro.

As águas provenientes de poços artesianos normalmente têm melhor padrão microbiológico, mas apresentam desvios físico químicos.

 

A busca da qualidade da água nos obriga a tomar algumas providências imprescindíveis, tais como:

 Coleta de amostra asséptica de água e fazer análise laboratorial;

 

 Dependendo dos resultados microbiológicos e físico-químicos, tomar atitudes gerenciais com a finalidade de proporcionar aos Suinocultores os equipamentos e produtos que devem sanitizar e agir sobre os aspectos físico-químicos fora do padrão;

 

Dar atenção especialmente a questão de contaminação por enterobactérias que necessitam de tratamento para melhorar a qualidade microbiológica da água;

 

Valorizar o resultado do pH nos exames laboratoriais tendo em vista que o Cloro vai fazer efeito sanitizante mais rápido e eficazmente se o pH da água está ao redor de 6,5. Se estiver acima deste valor, usar blend de ácidos orgânicos (ACIKOBRA® Kobra) para baixar o pH ao nível de 6,5;

No gráfico abaixo podemos ver o nível de liberação do Ácido Hipocloroso (HOCL) o qual tem melhor efeito sanitizante e em menos tempo que o hipoclorito (OCL-) em função do pH;

Gráfico 1. Nível de liberação do Ácido Hipocloroso HOCL em função do pH da água.

 

 Dar muita importância na obtenção dos níveis de cloro livre presente na água de suínos, pois a redução de consumo é observada quando os níveis de cloro livre são superiores a 2 ppm. Em função da alta sensibilidade desta espécie para os aspectos de gosto/cheiro, quando os níveis de matéria orgânica são elevados o cloro reage com ela, podendo produzir compostos voláteis que possuem odores desagradáveis. Estas situações geram a diminuição do consumo de água e consequentemente de ração, diminuindo ganho de peso e prejudicando a conversão alimentar;

 

Utilizar um filtro (Tecnologia Microtec® Kobra – Retém partículas sólidas até 75 micras, incluindo algas). É fabricado com material resistente necessitando somente lavagem periódica. Estes elementos presentes na água poderão criar biofilme nas tubulações sendo ingeridos pelos animais, gerando distúrbios gastrointestinais importantes, prejudicando a absorção de nutrientes e em casos mais graves produzindo síndrome do trânsito rápido, desperdiçando alimento que não será absorvido;

 

Verificar a presença de dureza da água nos exames laboratoriais, a qual vai criar o ambiente propício para a formação do Biofilme, além de agir sobre as molas das chupetas que perderão a capacidade de reter a pressão da água das tubulações, liberando água nos bebedouros (chupeta/bebedouro vazando ou pingando), aumentando a umidade nas baias e prejudicando o sistema de tratamento de dejetos pelo aumento da água no sistema.

Quando a dureza da água está fora dos padrões, utilizar o Dosador Antidureza® Kobra que possui um blend de elementos químicos que inativam as moléculas de carbonato de Ca e Mg (os dois mais encontrados), melhorando essa questão tão importante;

 

 Os procedimentos anteriormente citados deverão ser realizados através de um sistema de tratamento de linha, o QUARTETO ® Kobra (mais fácil de operar, mais seguro e está montado na área de fácil acesso onde os Suinocultores vão transitar frequentemente e poderão facilmente visualizar o funcionamento além de não necessitar subir em caixa d´água para clorar);

 

 Na atual situação que obriga o uso de águas superficiais com elevada carga de matéria orgânica ou naquelas granjas maiores e/ou que o Suinocultor é mais familiarizado com novas tecnologias, vale a pena avaliar a utilização do Dióxido de Cloro (BRADOX ® Kobra) através do DOSATAK® Kobra.

O BRADOX ® Kobra possui ação biocida mais rápida, ou seja, eficaz mesmo em curto tempo de contato e em concentrações baixas. Além disso, o BRADOX ® Kobra:

 É eficaz em uma ampla faixa de pH (4-10);

 Os microrganismos não desenvolvem resistência ao produto;

 Não forma trihalometanos (THMs);

 É ambientalmente seguro;

 Não reage com compostos orgânicos para formar subprodutos ecotóxicos e bioacumulativos.

É excelente neutralizador de odores e muito eficaz no controle de biofilme e algas;

 É eficiente na desinfecção de vírus, bactérias, algas;

 Não reage com amônia;

 Não produz corrosão dos equipamentos e

Permanece estável no sistema hidráulico por longos períodos (dias).

Esta metodologia permitirá uma segurança maior nas dosagens do BRADOX ® Kobra nas limpezas de linha, pois o produto não possui restrições de consumo de água mesmo em níveis muito altos (tem gosto cítrico estimulando o consumo de água).

A dosagem efetuada pelo DOSATAK® Kobra é:

 Realizada noite e dia e a um baixo custo;

 É precisa e simples;

 Utiliza a pressão da água como força motriz;

 É proporcional;

 A solução é enviada diretamente para rede;

A porcentagem de dosagem vai de 0,1 a 0,5%;

 

Naquelas granjas onde o ambiente é controlado, não podemos esquecer de tratar a água dos nebulizadores e/ou painel evaporativo com BRADOX ® Kobra (1 ppm).

Se a água apresentar dureza elevada é preciso limpá-la e retirá-la da calha periodicamente, além de realizar o tratamento com o NOPLAX® Kobra (que remove as incrustações da linha hidráulica e impede as ligações químicas que se formam na placa evaporativa), aumentando a vida útil das placas e a eficiência da ventilação, além de controlar micro biologicamente a água que circula pela placa, contribuindo eficazmente para a saúde do trato respiratório dos suínos.

Por todo o exposto anteriormente temos a convicção de que a melhoria dos indicadores de desempenho zootécnico, sanitários e econômicos justificam os investimentos na melhoria contínua da qualidade da água oferecida aos animais, além de atender aos aspectos de bem-estar animal. 

A KOBRA possui uma equipe de profissionais especializados que podem ajudar em qualquer área da cadeia da produção animal (de diferentes modelos construtivos, fases de criação animal, regiões com diferentes fontes de abastecimento de água), auxiliando o cliente a escolher a melhor metodologia de tratamento de água que se adapta a sua realidade, bem como na demonstração do retorno do investimento.

Contem conosco!

Somos água!!!

Acesse o site:

REFERÊNCIAS
Sob consulta do autor




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies