12 jan 2021

PSA: Surtos são notificados no mundo



AUTOR(ES)

Especialista em suinocultura

Cândida Azevedo

Zootecnista, MsC Zootecnia, Doutoranda em Ciência Animal e Pastagens e Editora Grupo de Comunicação AgriNews

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) informou, em seu último relatório, que 114 novos surtos de peste suína africana (PSA) foram notificados no mundo entre os dias 25 de dezembro e 7 de janeiro, ante 218 casos verificados no levantamento anterior. O número total de surtos em andamento subiu de 7.865 para 7,927, sendo 4.228 surtos somente na Romênia e 1.336 no Vietnã.

Dos novos surtos, 74 foram notificados na Europa e 40 na Ásia. Os dados constam de levantamento quinzenal divulgado pela OIE.

De acordo com a organização, surtos novos ou em andamento foram registrados em 23 países. Na Europa, Alemanha, Letônia, Moldávia, Polônia, Romênia, Rússia, Sérvia e Ucrânia ainda apresentam a incidência da doença. Na Ásia, China, Índia, Indonésia, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Papua Nova Guiné, Laos, Mianmar, Filipinas, Rússia, Timor Leste e Vietnã têm casos em andamento. Já na África, Namíbia, Nigéria, África do Sul e Zâmbia reportam a presença do vírus.

Durante o levantamento, foram notificadas perdas de 328 animais na Romênia, 90 na Rússia e 39 na Ucrânia.

Surtos na Alemanha 

O surto de PSA em javalis, no norte da Alemanha, continua aumentando, principalmente em Brandemburgo e na região da Saxônia. Um total de 480 carcaças testaram positivo para vírus (463 em Brandenburg e 17 na Saxônia) até o momento. Além disso, um caso suspeito em Potsdam, está sendo investigado – portanto fora das zonas de restrição.

Diante dessa situação, a ministra da Agricultura da Alemanha, Julia Klöckner, apelou em um comunicado, para o cumprimento das medidas impostas para conter a doença que, por enquanto, não chegou às populações de suínos domésticos.

Além da busca por animais contaminados e caça dos javalis selvagens, são utilizadas armadilhas e abates em áreas cercadas. O objetivo é impedir o contato de animais ainda sadios em uma área livre de javalis e, portanto, a disseminação do vírus.

O governo da Alemanha, no entanto, enfrenta dificuldades para manter o isolamento feito por cercas elétricas de proteção em torno das áreas centrais e ao longo da fronteira entre a Alemanha e a Polônia, em 63 quilômetros construídos em Mecklenburg-Western Pomerania, 127 km em Brandenburg e 56 quilômetros na Saxônia. As cercas temporárias têm sido destruídas por ações intencionais, segundo o governo.

“O vandalismo põe em risco o sucesso do controle da epidemia. Isso é assustador e pode ter consequências”, disse a ministra alemã Julia Klöckner. O governo alemão está investigando os supostos casos de destruição das cercas.

Até agora, segundo a Alemanha, os estoques de suínos domésticos estão livres da PSA. Mas, desde a primeira ocorrência em javalis, em 10 de setembro de 2020, países como a China, proibiram importações de carne suína alemã.

 

Fonte: Agência Estado.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies