PSA na Alemanha: mais de 2.000 javalis infectados



AUTOR(ES)

Especialista em suinocultura

Cândida Azevedo

Zootecnista, MsC Zootecnia, Doutoranda em Ciência Animal e Pastagens e Editora Grupo de Comunicação AgriNews

No dia 09 de setembro, a  Alemanha completa um ano da notificação do 1º caso da Peste Suína Africana (PSA), e neste período, o país já ultrapassou a marca de 2.000 javalis infectados.

 

Na semana passada, a contagem subiu para 2.036. Desde que o vírus PSA foi descoberto em território alemão, em 9 de setembro, ele se espalhou por oito distritos em dois estados, Brandemburgo e Saxônia. Todos os distritos são adjacentes à fronteira com a Polônia, onde o vírus não está sob controle.

As mais recentes adições à lista de distritos infectados são Barnim (julho) e Uckermark (agosto), há indícios de que o vírus está se espalhando para o norte, paralelo à fronteira polonesa. Na verdade, a propagação segue-se a surtos do outro lado da fronteira. Em linha reta, o vírus está agora a menos de 30 km da fronteira do estado com Mecklenburg-Vorpommern, o terceiro estado alemão que faz fronteira com a Polônia. Até agora, este é o único estado não afetado.

O padrão relatado de restos mortais de javalis na Alemanha é um pouco típico quando comparado com a situação na Polônia. O número de surtos notificados na Alemanha foi alto no inverno e relativamente baixo no verão. Na Alemanha, após uma calmaria inicial, os meses de junho e julho renderam muitas carcaças infectadas. Julho liderou a lista, com 309 javalis infectados.

Saxônia: cães farejadores são usados para rastrear javalis mortos

As autoridades da Saxônia anunciaram que cães farejadores especiais concluíram seu treinamento. Eles estão prontos para serem usados para ajudar na vigilância ativa para encontrar carcaças de javalis.

 

Polônia registra menor número de carcaças de javalis 

Do outro lado da fronteira com a Polônia, a situação reflete a dos meses de verão, com um número relativamente menor de carcaças infectadas detectadas, embora a contagem no oeste da Polônia seja maior do que no ano passado. Em todo o mês de julho de 2020, por exemplo, foram relatados um total de 66 javalis positivos para PSA. Este ano, esse número estava em 115. Para colocar as coisas em perspectiva: o mês mais pesado na Polônia Ocidental até agora foi fevereiro de 2021, com 524 carcaças de javalis infectadas.

No total, desde a primeira descoberta de PSA na Polônia Ocidental, naquela parte do país, até agora, 5.340 javalis infectados foram encontrados até este fim de semana.

Vírus da PSA se espalha

Curiosamente, parece que o vírus se comporta como uma pedra que é jogada na água. Aos poucos, ondas de surtos se espalharam em todas as direções. No mapa desta semana, é possível visualizar que onde ocorreram os primeiros casos, não há mais casos novos relatados. Em contrapartida, em um raio de cerca de 50 km, em todos os lugares surgem casos.

Fonte: Pig Progress.

 

 

Dois centros de atividade do vírus exigem atenção:

  • Um grupo de infecções acontece ao norte da cidade de Pniewy, na província da Grande Polônia, onde vários javalis foram encontrados infectados, bem como duas propriedades particulares. Um deles – relatado em maio – possuía 3.000 suínos no local.

 

  • O outro é mais ao sul e está localizado em torno de Dawicz, na fronteira das províncias da Grande Polônia e da Baixa Silésia. Os surtos em javalis parecem ter se intensificado também, e nos últimos meses um grupo de oito propriedades menores também foi infectado, sendo que, sete destes possuíam menos de 100 suínos no local, o único ligeiramente maior possuía 280 animais.

Fonte: Pig Progress.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 










Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies