06 fev 2021

Pesquisadores chineses detectam mutação natural do vírus da peste suína africana



AUTOR(ES)

Especialista em suinocultura

Cândida Azevedo

Zootecnista, MsC Zootecnia, Doutoranda em Ciência Animal e Pastagens e Editora Grupo de Comunicação AgriNews

Pesquisadores chineses descobriram uma mutação natural no vírus da peste suína africana (PSA) que, segundo eles, pode ser menos mortal do que a cepa que devastou o maior rebanho suíno do mundo em 2018 e 2019.

Os resultados, publicados na edição de fevereiro do Chinese Journal of Veterinary Science esta semana, surgem em meio a um intenso debate na indústria sobre a evolução da doença para a qual não há vacina aprovada.

A Reuters relatou no mês passado que pelo menos duas novas cepas da PSA  foram encontradas em propriedades de suínos na China, que pareciam ser de origem humana.

As cepas estão causando uma forma crônica de PSA que está afetando a produção de suídeos, disseram fontes da indústria.

Os pesquisadores do Instituto Veterinário Militar de Changchun disseram que parecia haver uma tendência crescente de redução da mortalidade por PSA, com mais sintomas clínicos que não são fáceis de detectar e difíceis de controlar.

Mas os pesquisadores disseram que, com o período prolongado de peste suína circulando na China, variantes naturais inevitavelmente apareceriam.

Variantes menos virulentas também foram encontradas na Letônia e na Estônia nos últimos anos.

A mutação

A nova cepa, chamada HuB20, foi isolada de carne suína amostrada em um mercado na província central de Hubei, disseram Hu Rongliang e colegas do instituto do Exército de Libertação Popular da China.

Ele tinha uma deleção parcial do gene CD2v e um gene 8CR adjacente. Pesquisas anteriores na Rússia sugeriram que a exclusão dos dois genes poderia proteger contra a PSA.

Os genes são diferentes daqueles ausentes nos isolados de vírus descritos anteriormente à Reuters por participantes da indústria.

“Esta variante não contém nenhum gene marcador conhecido, indicando que variantes naturais de PSA estão ocorrendo na China e isso pode estar relacionado à epidemia subaguda da PSA no país”, escreveram os autores.

Os pesquisadores informaram que um trabalho está em andamento para validar a virulência da nova cepa.

Fonte: Reuters.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies