25 set 2020

Filipinas detecta novos surtos de PSA e prevê mais importação de carne suína



AUTOR(ES)

Especialista em suinocultura

Cândida Azevedo

Zootecnista, MsC Zootecnia, Doutoranda em Ciência Animal e Pastagens e Editora Grupo de Comunicação AgriNews

O Departamento de Agricultura das Filipinas detectou novos surtos de Peste Suína Africana (PSA) em seis províncias, aumentando a possibilidade de que o déficit doméstico de carne suína previsto para o final do ano seja maior do que o inicialmente esperado.

Uma nova onda de infecções de PSA atingiu o décimo maior consumidor de carne suína e o sétimo maior importador de carne suína do mundo, onde mais de 300.000 suínos foram sacrificados desde o ano passado, disse o secretário de Agricultura William Dar.

Novos surtos foram detectados nas províncias de Albay, Quirino, Laguna, Quezon, Batangas e Cavite, na ilha principal de Luzon, informou o secretário em uma coletiva de imprensa.

William Dar não detalhou a extensão das novas infecções, mas afirmou que um programa de reabastecimento financiado pelo governo e importação adicional de carne suína e produtos à base de carne suína de países livres de doenças, que ele não identificou, podem ajudar a resolver o déficit na oferta doméstica.

O departamento de agricultura inicialmente projetou um déficit doméstico de suínos de 121.000 toneladas até o final do ano.

A produção de carne suína nas Filipinas deve cair 20% este ano, segundo estimativa do Serviço de Agricultura Internacional do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o dobro da projeção inicial, por causa da doença.

O impacto sobre a demanda doméstica, no entanto, deve ser parcialmente compensado por operações limitadas de serviços de alimentação devido às restrições ao coronavírus, de acordo com o USDA em um comunicado de 21 de setembro.

O número de suínos abatidos desde o ano passado representa cerca de 3% do total do país, mas o USDA alertou que os problemas de abastecimento local podem persistir em 2021, citando fontes da indústria.

“Se houver déficit (no fornecimento de carne suína), nossa necessidade de proteína pode ser proveniente do frango”, destaca Dar, reiterando que o fornecimento doméstico de frango permanecerá abundante mesmo durante as férias de Natal.

Fonte: Reuters.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies