28 dez 2021

Febre aftosa: FAESP reforça novo prazo para vacinação

Após avaliação, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) autorizou a prorrogação da segunda fase da campanha de vacinação contra a febre aftosa do ano de 2021 em decorrência da falta de vacinas e necessidade de remanejamento de doses para algumas regiões.

febre aftosa

 

agulha  O novo prazo é 31 de dezembro de 2021.

A medida, que foi adotada por 14 estados, foi solicitada por entidades representativas dos produtores, incluindo a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP), por meio do seu presidente, Fábio de Salles Meirelles.

As vacinas contra febre aftosa devem ser adquiridas nas revendas autorizadas e mantidas entre 2°C e 8°C, desde a aquisição até o momento da utilização – incluindo o transporte e a aplicação, já na fazenda.

Além de vacinar os animais, o produtor deve declarar a vacinação no GEDAVE até o dia 7 de janeiro.

A declaração de vacinação deve ser feita de forma online ou, quando não for possível, presencialmente nos postos designados pelo serviço veterinário estadual.

 

Fonte: Assessoria de imprensa – Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP)

Sobre a FAESP

A década de 1930 foi palco das primeiras conversações e movimentos de pecuaristas e produtores rurais paulistas, em vários pontos do Estado, objetivando organizar um sistema representativo do setor, culminando na concepção da primeira estrutura associativa rural paulista, a FARESP – Federação da Associações Rurais do Estado de São Paulo, precursora da atual FAESP.

Investindo-se das prerrogativas associativistas da antiga FARESP e adequando-se à nova lei sindical, a FAESP incorporou os legítimos ideais da liderança rural, tendo sido seu primeiro Presidente o saudoso Dr. Luiz Emmanuel Bianchi.

Desde que se começou a falar em Constituinte a FAESP, por seu Presidente Fábio Meirelles, esteve presente nas discussões, procurando transmitir a todos as dificuldades, necessidades e até as sugestões para o aprimoramento de uma política não só agrária, mas sobretudo agrícola, no País.

Ocupando atualmente 99% de seu edifício sede, à Rua Barão de Itapetininga, e com três centros técnicos, em São Roque, Mirante do Paranapanema e Ribeirão Preto, a FAESP mantém sua malha sindical em 86% do Estado, por intermédio de seus sindicatos rurais e respectivas extensões de base, presentes em 557 dos 645 municípios paulistas, atuando e contribuindo diretamente no desenvolvimento dos cursos e atividades do SENAR AR/SP.

Fonte: Assessoria de imprensa – Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP)




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies