21 dez 2021

Efeitos das interações negativas no comportamento dos suínos

O tratamento recebido na granja pode ter repercussões no comportamento dos animais durante todas as fases do manejo, do transporte e do manejo pré-abate. Isto porque a qualidade das interações humano-animal desde o início da vida pode influenciar os comportamentos locomotores e sociais posteriores (ZUPAN et al., 2015) e a performance de leitões em tarefas cognitivas complexas (BRAJON et al., 2016).

 

Leitões manipulados gentilmente nas primeiras semanas de vida, mais tarde foram menos medrosos em um ambiente novo e mostraram menos medo durante interações com pessoas (DE OLIVEIRA et al., 2015).

Leitões acariciados por um tratador durante seis amamentações no primeiro dia de vida mostraram menor comportamento de fuga no dia dois e duas semanas após, sugerindo redução do medo de humanos (MUNS et al., 2015).

Por outro lado, leitões manejados diariamente de dez a 27 dias após o nascimento por um tratador barulhento e que se comportava de maneira ameaçadora e imprevisível durante as tarefas diárias de limpeza mostraram maior propensão de evitar seres humanos em um teste realizado no momento do desmame do que leitões manejados por um tratador cuidadoso e gentil (SOMMAVILLA et al., 2011).

Um tratamento semelhante durante a fase de aleitamento também gerou respostas de estresse após várias semanas após o término do tratamento aversivo e os suínos foram mais medrosos quando exposto a uma novidade, ao isolamento social e ao tratador aversivo (SOMMAVILLA, 2015).

A qualidade do manejo no início da vida pode agravar o estresse do desmame, como sugerido em um estudo em que leitões tratados aversivamente antes do desmame apresentaram maiores frequências de brigas e fuga e redução do repouso após o desmame (SOMMAVILLA et al., 2011).

Um ponto interessante é que os efeitos negativos das interações negativas no início da vida no comportamento dos suínos podem ser revertidas ou amenizadas com manejos que reduzem o estresse, como o enriquecimento ambiental (PEARCE et al., 1989; SOMMAVILLA, 2015). A qualidade do tratamento também influencia a facilidade de condução dos suínos (DAY et al., 2002), mas quando o tratamento recebido por suínos é gentil, os mesmos tendem a ter menos medo de situações de rotina que os expõem ao medo (HEMSWORTH et al., 1996).

 

 

 

Talvez também te interesse: Dor e estresse em relação à via de administração das vacinas

 

Fonte: Suinocultura: uma saúde e um bem-estar.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies