19 abr 2021

Consumo per capita de carne suína cresce 14% em cinco anos

A carne suína está cada vez mais ganhando espaço nas refeições dos brasileiros. Nos últimos cinco anos, o consumo per capita da proteína animal cresceu 14%, passando de 14,47 quilos registrados em 2015 para 16,86 quilos em 2020. Ou seja, ao longo deste período o brasileiro elevou em 2,39 quilos o consumo de carne suína.

Entre os principais motivos que influenciaram a alta está o aumento do custo da carne bovina e o cenário econômico, já que, por ter um custo menor, a carne suína se torna uma opção interessante para os consumidores.

A evolução registrada no período e o peso médio consumido pelos brasileiros em 2020 é avaliada de forma positiva pelo presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul – ACSURS, Valdecir Luis Folador.
Ele acrescenta que o trabalho desenvolvido pelas entidades estaduais e pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos – ABCS em prol do consumo da carne suína também justificam o aumento nos últimos anos.

“A partir do projeto foi levada informação ao atacado e varejo para que eles conhecessem melhor o produto, os benefícios da proteína e como a carne suína é produzida. Da mesma forma, foram apresentadas formas mais atrativas de expor a proteína animal nas gôndolas do supermercado”, complementa o presidente da entidade.

Por meio de palestras e reuniões, o projeto também alcançou os profissionais ligados à área da saúde, que passaram a desmitificar o consumo da carne suína e a indicá-la para o consumidor.

Outro ponto destacado pelo também conselheiro de Relações com o Mercado da ABCS é a forma coma a proteína é consumida pelos brasileiros.

“Sabemos que cerca de 65% da carne suína é consumida em derivados e o restante é a carne in natura. A indústria sempre priorizou agregar valor e processar a carne suína em forma de produtos. Isso ocorre porque, desde sua origem, a carne suína sempre deu essa condição de fazer produtos elaborados e diferentes”, justifica.

Entre os desafios enfrentados para manter todo o trabalho desenvolvido em prol do consumo da carne suína e também a qualidade do produto, Folador afirma que a cadeia produtiva está seguindo o caminho certo. “Temos um produto de excelente qualidade, com segurança em toda a sua produção, com sabor e ainda nutritivo. E esses resultados positivos fazem com que a carne suína permaneça na mesa dos consumidores e cresça cada vez mais”, finaliza.

Baseados em dados de produção de carne suína, a ACSURS estima que o consumo per capita dos gaúchos é de cerca de 27 quilos. Por conta da cultura, tradicionalmente o Rio Grande do Sul consome mais proteína animal do que a média nacional.

Uma pesquisa realizada com base em notas fiscais do varejo pela Horus, empresa de inteligência de mercado, apontou que em julho do ano passado a cada 100 compras no supermercado uma continha carne suína.
Já em 2021 este número dobrou e o índice subiu para duas compras de carne suína a cada 100, caracterizando aumento de 80% em um período de seis meses.

Escolha + carne suína 

Criado para ser fonte de informações para o consumidor, a plataforma digital do projeto “Escolha + Carne Suína” tem acervo versátil de receitas a base de carne suína.

Considerada a carne do equilíbrio, porque reúne sabor, praticidade, qualidade e custo-benefício em uma única opção, a carne suína ainda encontra alguns obstáculos para ter todo o valor reconhecido no Brasil. Por conta disso, o conceito do projeto veio para mudar o cenário de consumo da carne suína por meio de um trabalho conjunto, que vai desde a produção a comercialização da proteína.

Fonte: Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul, ACSURS.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies