27 nov 2020

Bolsa do suíno registra queda de até 16,5%



AUTOR(ES)

Especialista em suinocultura

Cândida Azevedo

Zootecnista, MsC Zootecnia, Doutoranda em Ciência Animal e Pastagens e Editora Grupo de Comunicação AgriNews

A oferta acima da demanda registrada nos últimos dias interrompeu o movimento de alta nos preços do suíno vivo negociado no mercado independente, cenário que vinha sendo observado desde junho. De acordo com pesquisadores do Cepea, de modo geral, enquanto a produção vem se recuperando, resultando até mesmo em “sobras” em algumas granjas, a demanda se enfraqueceu nos últimos dias, o que pode estar relacionado ao período de segunda quinzena do mês, quando o poder de compra da população diminui.

 

Segundo informações da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (ASEMG), a bolsa de suínos do Estado, realizada nesta quinta-feira (26), acordou  o valor de R$7,60 para a comercialização do quilo do suíno vivo em Minas Gerais. O preço tem validade entre sexta-feira (27/11) a quinta-feira (03/12), quando haverá nova discussão entre as partes. Com esse valor a bolsa registra uma queda de 16,5%.

Alvimar Jalles, Consultor de Mercado da ASEMG avaliou a variação na bolsa e explica:

É muito comum que quando a demanda se enfraquece a oferta se intensifica. E o contrário também é verdadeiro. Esta queda de preços veio dessa dinâmica: uma pequena diminuição de demanda dos consumidores e frigoríficos seguida de um forte aumento de oferta pelo produtor. Mas é fato também que temos diminuição de renda da população pela inflação e redução do auxílio emergencial. Em resumo, nesse momento o conjunto de expectativas é desfavorável retroalimentando a “força vendedora”. Só variáveis concretas que podem alterar isso. Temos que olhar semana a semana esperando que o dezembro nos ajude a reposicionar o mercado.

Também nesta quinta-feira (26), Santa Catarina negociou os suínos no mercado independente, e os valores passaram de R$ 9,36/kg para R$ 8,08/kg vivo. Queda na bolsa de R$ 13,7%. A Associação Catarinense de Criadores de Suínos tem a projeção de comercialização para a próxima semana de 17.854 animais, com peso médio de 113 kg, num preço médio de R$8,08 com prazo estimado de 21 dias.

Já no estado de São Paulo a Associação Paulista de Criadores de Suínos acordou a bolsa de suínos também nesta quinta a R$ 8,00, registrando uma queda de 11,8% frente aos R$9,07 negociados na semana passada.

 A recente retração nos preços no mercado de suínos, percebido desde a quinta-feira (19) aponta para uma adequação de valores ao comportamento do consumidor, que recuou nas compras da proteína. Os preços devem seguir caindo até que voltem a um patamar em que o consumidor brasileiro retome as compras.

Em contrapartida os custos de produção com insumos da alimentação continuam elevados, a saca do milho de 60 kg está sendo negociada de R$79,00 a 85,00 e a tonelada da soja atingindo R$2.705,00.

Fonte: Redação SuínoBrasil.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies