24 ago 2020

ACCS cobra medidas emergenciais para atender os produtores atingidos pelos tornados



AUTOR(ES)

Especialista em suinocultura

Cândida Azevedo

Zootecnista, MsC Zootecnia, Doutoranda em Ciência Animal e Pastagens e Editora Grupo de Comunicação AgriNews

Os produtores rurais dos municípios de Água Doce, Treze Tílias, Ibicaré e Tangará tentam se reerguer após os tornados que devastaram suas propriedades, no Meio-Oeste Catarinense. O prejuízo total ultrapassa os R$ 17 milhões, sendo que a maior parcela deste montante corresponde a perdas em infraestrutura.

Comitiva com representantes dos governos estadual e federal

Na última quinta-feira (20) o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos – ACCS, Losivanio Luiz de Lorenzi, integrou uma comitiva com representantes dos governos estadual e federal que visitou as áreas mais afetadas pelo tornado do dia 14 de agosto.

Como houve muita vegetação derrubada pela força dos tornados, o presidente da ACCS reivindica que nesse momento seja autorizada a venda das madeiras para que os produtores possam minimizar as perdas financeiras. “Muitos produtores vão precisar usar essa matéria-prima para reconstruir suas granjas. Mas o excedente deve ser comercializado para que possam angariar fundos sem necessitarem de mais um financiamento. Os produtores do Meio-Oeste estão perdidos, com lonas plásticas em cima das casas, sem energia elétrica e muitos com quadro de depressão por terem perdido o que foi construído em décadas em poucos minutos”.
A solicitação do presidente foi encaminhada em forma de ofício para todos os deputados da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Losivanio também entregou um ofício à deputada federal Caroline De Toni, que garantiu a entrega do documento ao presidente da República, Jair Messias Bolsonaro.

Tornados e tempestades

Durante a tarde de sexta-feira (14) e a madrugada deste sábado (15), tempestades severas e pelo menos dois tornados foram registrados em Santa Catarina. As rajadas de vento atingiram velocidade acima de 100 km/h e chegaram a derrubar caminhões. Segundo a Defesa Civil, ocorreu queda de granizo e chuva forte principalmente nas regiões Oeste e Norte catarinense.

De acordo com o informe da Defesa Civil, 830 pessoas estão desabrigadas e precisaram sair de casa, 127 tiveram os imóveis destruídos e 16 ficaram feridas, sendo duas em estado grave. Cerca de 4,6 mil habitações em 22 municípios foram diretamente afetadas pelos fenômenos e ao menos 55 imóveis públicos tiveram danos.

Em pouco mais de dois meses, além desses fenômenos, Santa Catarina enfrentou uma série de eventos que causaram prejuízos milionários aos cofres públicos, feridos e mortos: tornado no Oeste (10 de junho), “ciclone bomba” (30 de junho), chuva com enxurradas e alagamentos (7 de julho).

 

Fonte: Associação Catarinense de Criadores de Suínos e G1. 




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies