29 jun 2021

ABPA promove campanha de imagem na Coreia do Sul



AUTOR(ES)

Especialista em suinocultura

Cândida Azevedo

Zootecnista, MsC Zootecnia, Doutoranda em Ciência Animal e Pastagens e Editora Grupo de Comunicação AgriNews

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a Embaixada Brasileira em Seul, iniciará nesta terça-feira (29) uma campanha de imagem focada no mercado consumidor da Coreia do Sul.

Focada em exaltar atributos da carne de frango e da carne suína do Brasil – como a qualidade dos produtos e o status sanitário da produção brasileira – a campanha contará com 362 telas de mobiliário urbano, instalados nas movimentadas estações de metrô e terminais de ônibus da capital sul-coreana.

 

Para isto, foram escolhidos 17 locais estratégicos de Seul, como a famosa Gangnam Station – bairro conhecido pelo clipe viral Gangnam Style, de Psy.

A ação deverá durar cerca de 1 mês. O Embaixador do Brasil na Coreia do Sul, Luís Henrique Sobreira Lopes e o Adido Agrícola, Gutemberg Barone, participarão da cerimônia de lançamento.

A campanha da ABPA acontece pouco após o reconhecimento dos estados do Rio Grande do Sul e Paraná – respectivamente, segundo e terceiro principais produtores de carne suína do Brasil – como áreas livres de aftosa sem vacinação. O status obtido junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reforça a qualidade e a sanidade do produto brasileiro exportado, especialmente para alguns mercados de alto valor, como é o caso da Coreia do Sul.

A Coreia do Sul é, atualmente, o quarto principal importador mundial de carne suína, com 570 mil toneladas, equivalente a cerca de US$ 1,38 bilhão ao longo de 2020 – atrás apenas de China, Japão e México. O Brasil ainda possui uma baixa participação no mercado – cerca de 5 mil toneladas exportadas no mesmo período.

Hoje, somente Santa Catarina embarca produtos para as gôndolas coreanas, situação que pode ser incrementada com a possível entrada de exportadores gaúchos e paranaenses nesse mercado.

“É preciso ainda um certo tempo até o reconhecimento da Coreia do Sul sobre este status, mas o reconhecimento do país para a certificação da OIE tem potencial de elevar nossa capacidade de fornecimento para estes mercados, gerando oportunidades novas e valiosas para os exportadores brasileiros. A ação de imagem ocorre neste contexto, em que reforçamos à comunidade Sul-Coreana nossas intenções em fornecer ao país produtos seguros e de alta qualidade”, ressalta Ricardo Santin, presidente da ABPA.

O Brasil é o maior fornecedor de carne de frango para a Coreia do Sul, em números bastante representativos. Cerca de 80% da carne de frango importada pelo país é proveniente do Brasil. Ao todo, foram embarcadas para lá 127,4 mil toneladas de produtos avícolas brasileiros em 2020, gerando receita de US$ 196,6 milhões. O país é o 8° entre os maiores importadores de carne de frango do Brasil.

 

Fonte: Comex do Brasil.




Entrevistas +

NOVIDADES DO SETOR

 
 







Ver outras revistas


 

Cadastro Newsletter Suino Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

SuínoMind
SuínoBrasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies